II Encontro das Escolas do Campo da Lapa reúne mais de 500 crianças

 

O II Encontro das Escolas do Campo reuniu nessa sexta-feira – 20 de outubro de 2017, no Assentamento Contestado  localizado na cidade da Lapa – Paraná, cerca de 500 crianças vindas de 16 escolas da zona rural lapeana e acampamentos da reforma agrária da região. O evento, que traz o lema “Pelo Direito de Viver e Estudar no Campo – Por uma alimentação Saudável”, tem por objetivo fortalecer a identificação camponesa nas crianças Sem Terra, assim como contribuir com sua autoestima e aprendizagem junto as demais crianças camponesas.

Para tanto uma programação caprichada de oficinas brindaram o espaço com muita beleza e aprendizado. Teve capoeira, brincadeiras e histórias africanas, mandala com barbante, ritmos do corpo, corpo e movimento, palhaçada, criando histórias, brincando com as mãos, cata-vento em latinha, história em quadrinhos, fotografia, alimentação saudável, refrigerante natural, jardim agroflorestal, bomba de sementes, filtro dos sonhos, peteca e jogos e brincadeiras, ufa! É muita coisa mesmo, pensando na formação plena e integral dos pequenos e das pequenas.

O evento foi preparado ao longo da semana por uma grande equipe, unindo a Escola Municipal e Estadual do Contestado, a Escola Latino Americana de Agroecologia e companheiras do Assentamento Contestado. “Esse II Encontro das escolas do campo da Lapa e I Encontro Regional Sem Terrinha vem junto a nossa luta pelas escolas do campo, direito nosso, dever do estado e compromisso da comunidade” comenta Adriano Lima dos Santos integrante do Setor de Educação do MST – PR. O companheiro explica que a alimentação do evento foi feita majoritariamente com alimentos agroecológicos e o mínimo possível de industrializados. Sobre a importância da valorização da cultura camponesa entre as crianças ele ressalta “Nós Sem Terra também somos cidadãos e lutamos muito pra chegar onde estamos. Temos os mesmos direitos que todo e qualquer cidadão, qualquer criança. Ser do campo é bom, é bonito e nós nos orgulhamos de ser camponeses.”

Para finalizar o evento, antes da confraternização de encerramento, os espetáculos artísticos trouxeram o mundo lúdico do palhaço e a cultura popular para a Plenária El Espacio. Foi bonito de ver a criançada sorrindo e aplaudindo. É um sopro de esperança e um combustível pra luta continuar.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*